Pleonasmo vicioso: acabamento final

Pleonasmo vicioso: acabamento final

Observe esta frase:
O artista fez o acabamento final da obra.
Há nela um problema linguístico: um pleonasmo vicioso. Saiba mais sobre esse assunto a seguir.
O pleonasmo é uma figura de linguagem; uma estratégia aplicada ao texto para dar efeito de ênfase. Grandes autores a usam muito:
“E rir meu riso”
(Vinicius de Moraes).
Quando consiste numa redundância inútil e desnecessária de significado, é considerado um vício de linguagem, denominado “pleonasmo vicioso”. Ao contrário das figuras de linguagem, que representam realce e beleza às mensagens, os vícios de linguagem são construções que vão contra as novas gramaticais, pois empobrecem o vocabulário e comprometem a objetividade.
A expressão “acabamento final” é um exemplo de pleonasmo vicioso. “Acabamento” já dá ideia de que algo está no final. Por isso, deve ser empregado sozinho nas sentenças.
O correto, portanto, é:
O artista fez o acabamento da obra.