Primeira chamada do Prouni 2014 já pode ser consultada. Confira!

Primeira chamada do Prouni 2014 já pode ser consultada. Confira!

O MEC (Ministério da Educação) liberou a lista de primeira chamada de selecionados para as bolsas do Prouni (Programa Universidade para Todos). Para consultar, basta acessar o site do programa com o número de inscrição no Enem 2013 (Exame Nacional do Ensino Médio) e senha.
As inscrições foram encerradas na última sexta-feira (17). Segundo o balanço final, 1.259.285 candidatos se inscreveram no programa. No total foram feitas  2.424.354 inscrições — cada candidato pode fazer até duas opções de curso. De acordo com o ministério, o número é o maior desde a criação do programa em 2004.
Nesta edição o programa oferece 131.636 bolsas integrais e 59.989 parciais, em 25,9 mil cursos.
O estudante pré-selecionado na primeira chamada deverá comparecer à instituição de ensino para qual foi aprovado para comprovação de informação e eventual participação em processo seletivo próprio da instituição, quando for o caso, entre 20 e 24 de janeiro. A segunda chamada será no dia 3 de fevereiro.
Os cursos com o maior número de bolsas ofertadas são os de administração (21.252), pedagogia (14.773) e direito (13.794). Mais da metade das bolsas disponíveis está em São Paulo. Este ano, serão 1.116 instituições participantes em 991 municípios.

Quem pode se inscrever

Segundo o edital, somente poderá se inscrever no processo seletivo do Prouni o estudante brasileiro não portador de diploma de curso superior que tenha participado do Enem 2013 que tiver média acima de 450 pontos nas provas objetivas e nota maior que zero na redação. É preciso ainda atender a pelo menos uma das seguintes condições:

  • tenha cursado o ensino médio completo em escola da rede pública;
  • tenha cursado o ensino médio completo em instituição privada, na condição de bolsista integral da respectiva instituição;
  • tenha cursado o ensino médio parcialmente em escola da rede pública e parcialmente em instituição privada, na condição de bolsista integral da respectiva instituição;
  • seja pessoa com deficiência;
  • seja professor da rede pública de ensino, no efetivo exercício do magistério da educação básica e integrando o quadro de pessoal permanente da instituição pública.

As bolsas integrais são para candidatos que possuem renda familiar bruta mensal per capita no valor de até um salário mínimo e meio. Já as bolsas parciais são para quem possui renda familiar bruta mensal per capita no valor de até três salários mínimos.
 
Fonte: UOL